Associação alerta para cobrança indevida de taxas na hora de conceder empréstimos

O consumidor não deve pagar nenhuma taxa adiantada e tudo deve ser deduzido depois do empréstimo concedido

A Aneps (Associação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes no País), que representa cerca de 140 mil empresas de correspondentes no Brasil, está fazendo uma campanha para alertar as pessoas em relação à cobrança indevida de taxas na hora de contratar um empréstimo. “Estas taxas para a liberação do dinheiro são ilegais e devem ser denunciadas, pois quem cobra isso está cometendo um crime e deverá ser impedido de atuar como correspondente”, disse Edison João Costa, presidente da entidade.

Em todo o Brasil, são mais de 341 mil pontos de venda que oferecem serviços financeiros, fora das agências bancárias, como terceirizados. Nestes locais, especialmente em cidades menores, as pessoas pagam contas, remetem dinheiro para outras pessoas e contratam empréstimos pessoais, imobiliários, financiamentos para compra de carros, entre outros, incluindo os empréstimos consignados para aposentados.

Os correspondentes no país, popularmente conhecidos como correspondentes bancários, levam os serviços financeiros a todas as pessoas, universalizando o sistema bancário e garantindo capilaridade. O profissional que trabalha em um correspondente diretamente em contato com o público consumidor, na oferta de produtos financeiros, deve obrigatoriamente ser certificado de acordo com a Resolução nº 3954/2011 imposta pelo Banco Central. Só assim é possível garantir capacitação técnica e fortalecimento do sistema.

“Temos recebido denúncias de empresas ou falsas empresas que cobram R$ 1.000 ou R$ 2.000 para liberar um empréstimo. É um absurdo. O pior é que as pessoas pagam, na ansiedade de ver logo o recurso liberado. É preciso alertar para a não existência de cobrança deste tipo e da possibilidade de denunciar para a Aneps”, completou o presidente da entidade.

A Aneps tem um canal de ouvidoria em que recebe constantes denúncias deste gênero. Para se ter uma ideia, se comprovada a denúncia contra uma empresa envolvida em fraude, esta pode perder o credenciamento junto aos bancos em que atua e ficar permanentemente fora do mercado.

Se houver interesse na pauta, temos fontes e personagens para indicar

Saiba mais sobre a Aneps (Associação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes no País) – As empresas promotoras de crédito e correspondentes atuam de forma independente como terceirizadas para financiadores ou credores, ou seja, prestam serviços financeiros fora das agências. Estes profissionais realizam pagamentos de pequenas contas, como água, luz, telefone entre outros, e o recebimento de 57% dos benefícios sociais, como aposentadoria e Bolsa Família. No Brasil, de acordo com o Banco Central, existem cerca de 140 mil empresas promotoras de crédito e correspondentes bancários, totalizando mais de 341 mil postos de atendimento ao consumidor, e gerando cerca de 1,5 milhão de oportunidades de trabalho.  A Aneps foi criada em 2001 para representar os interesses dessas empresas e obter o reconhecimento como categoria importante na cadeia produtiva.  Mais informações www.aneps.org.br

 

Informações para a imprensa

Egom PR Agency – (11) 3666 7979/ 3666 7981

Daya Lima (11) 98207 5278

Marcela Matos (11) 98447 1756

Sala de imprensa: http://egom.com.br/press-releases/ (Novo!)

E-mail: egom@egom.com.br

Visite a Egom PR Agency no Facebook!
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Egom Consultoria de Comunicação e Marketing

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?